Antena para ACARS-Spotting (serve para Banda Aérea)

Esta página apresenta o resultado do desenvolvimento de uma antena especial para a captação de sinais ACARS, na frequência 131.725MHz.

Os materiais empregues são:

  • Ficha BNC fêmea para chassis com fixação por porca;
  • Fichas BNC macho de cravar para o cabo coaxial de interligação;
  • Fio de cobre tipo V de 1.5mm2 de secção (daquele que se usa nas instalações eléctricas de habitação, nos circuitos de iluminação);
  • Cabo coaxial RG58 (10 metros);
  • Adaptador BNC-SMA (para o receptor Maycom AR-108);
  • Calha técnica Legrand 2m x 32mm.

Esta antena foi desenvolvida com recurso a um pequeno software (MMANA v1.70), disponível em:
http://mmhamsoft.amateur-radio.ca/
(ver mais abaixo os screenshots do desenvolvimento). Este programa, conforme descreve o autor, é um analisador de antenas. No entanto, permite também desenvolver as mesmas. Foi o que fez a equipa do AirLomba!

O resultado é o que se apresenta na fotografia abaixo:

ant_01
Trata-se de uma antena de 1/4 de onda (para a frequência 131.725MHz), composta por um fio com 55cm de comprimento.

O plano de massa é composto por 4 radiais com 50cm de comprimento cada. Estes radiais são dispostos conforme os semi-eixos de um sistema ortogonal e estão electricamente ligados entre si; ligando também à massa do circuito; i.e. à malha do cabo coaxial.

 

ant_02_small ant_03_small ant_04_small
Vista de cima Vista de baixo Pormenor da ficha BNC

 Apesar das fotografias apresentarem o plano de massa “plano”, este deve ter uma configuração piramidal. Ou seja, cada radial deve ficar a apontar para baixo, num ângulo de cerca de 37º, conforme ilustra o desenho abaixo.

ant_05
Este ângulo permite obter uma impedância de 50 Ohm aos terminais da antena, ficando esta adaptada à impedância de entrada do receptor Maycom AR-108 (50 Ohm). Note-se que o cabo coaxial utilizado na ligação entre a antena e o receptor tem uma impedância características de 50 Ohm.

Para testar a antena (para saber se estava correctamente sintonizada – aproximadamente), procedeu-se da seguinte forma:

  • Colocar a antena sobre uma mesa, junto do receptor de banda aérea;
  • Ligar o receptor e sintonizar uma frequência de ATIS (com emissão contínua). Neste momento, o receptor tem a antena original;
  • Apreciar o nível de ruído de fundo da transmissão captada;
  • Sem desligar o receptor, nem mexer no botão de squelch ou de volume, desmontar a antena original;
  • Ligar ao receptor a antena recém-contruída, com cabo e adaptador;
  • Verificar se houve melhoria na qualidade da transmissão captada.

Com esta antena, o sinal captado melhorou muito. Actualmente, ouvem-se as aeronaves que estas ainda se encontram na placa. As mensagens na frequência da torre eram apenas preceptíveis, agora são perfeitamente intelegíveis! E ainda, o sinal Morse da VOR do Porto é também captado e facilmente identificado!!!

Ou seja, apesar de esta antena ter sido dimensionada para a frequência primária de ACARS na Europa, ainda permite a captação de sinais em toda a banda aérea.

A médio prazo serão testados os efeitos da interligação de um amplificador de banda larga (VHF – para televisão), entre a antena e o receptor (apesar da impedância de 75 Ohm destes dispositivos). Os resultados serão publicados aqui.

A calha técnica, no nosso caso, serve para suportar a antena e transportar o cabo coaxial bem como para facilitar uma instalação amovível em qualquer janela…

Informações podem ser solicitadas por e-mail a: webmaster ARROBA airlomba PONTO net

NOTAS: Esta antena é experimental (e de muito baixo custo; menos de 10€). Os materiais
empregues não são resistentes às intempéries. Ao manusear os diferentes componentes (antena e radiais), tenha cuidado em proteger os olhos!

Screenshots do software MMANA, durante o desenvolvimento desta antena:

mmana1
mmana2
mmana3
mmana4